Você Sabe O Que é Orgasmo? Nunca Vi, Nem Senti, Eu Só Ouço Falar.

Você Sabe O Que é Orgasmo? Nunca Vi, Nem Senti, Eu Só Ouço Falar.

Falar sobre sexo ainda é um tabu e causa constrangimento em muita gente. Se o assunto é orgasmo, então, o melhor é fingir. É o que fazem muitas mulheres. A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) ouviu três mil brasileiras, entre 18 e 70 anos de idade, e concluiu que metade não tem orgasmo nas relações sexuais. Das participantes, 67% responderam que têm dificuldade para se excitar e 59,7% sentem dor na relação. No entanto, a maioria não conta para seus parceiros, nem busca ajuda profissional, e segue sem sentir prazer

Mas por que a maioria das mulheres não tem orgasmos?

A falta de conhecimento sobre o próprio corpo e o preconceito em relação as atitudes sexuais femininas são algumas respostas. No entanto, vale ressaltar que o clitóris é o único órgão do corpo cuja função é estritamente a de proporcionar prazer. Verdade! Pode tocar e descobrir!

Para a administradora de empresas e consultora de produtos sensuais Daniele Oliveira esta pode ser a luz no fim do túnel. Ela conta que o mercado está crescendo e que as mulheres estão se importando mais com a vida sexual e buscando conhecer o próprio corpo. Um bom exemplo é a terceira edição do filme De Pernas pro Ar 3, que é sucesso de público, em cartaz nos cinemas em todo o país. Dirigido por Julia Rezende, o filme vai além da comédia com temas como sororidade, independência profissional e o conflito entre gerações.

Daniele, que participou da pré-estreia em Belo Horizonte, conta que antes do filme, a atriz Maria Paula, que integra a trama, ressaltou a alegria em celebrar o avanço das mulheres em busca do prazer, autoestima e autoconhecimento. Uma das empresas patrocinadoras do filme é a mineira A Sós. É ela quem fornece os produtos usados pela atriz Ingrid Guimarães na trilogia e comercializados por Daniele na vida real.

No Blog da empresa, os números impressionam: “Por mês, no Brasil, são vendidos cerca de 10 milhões de itens. O Brasil é uma referência mundial na fabricação de cosméticos sensuais e de lingeries. No entanto, cerca de 85% dos brasileiros nunca experimentaram um produto erótico! Há, portanto, uma grande parcela da população que nunca teve contato com os produtos e que, com a abordagem certa, tem grandes chances de se tornar um cliente.”

A consultora vive isso na prática. “A curiosidade é grande e é muito gratificante ver os resultados. Os produtos evoluíram. Não estamos falando apenas do erótico, mas de saúde e qualidade de vida. Quem experimenta um, aprova e quer mais.” Entre os campeões de venda estão o desodorante íntimo, o lubrificante ‘elétrico’, a calcinha tailandesa, o plug anal e o estimulador de clitóris por ondas de pressão que leva ao orgasmo em poucos minutos. O preço dos produtos começa em cinco reais e o céu é o limite. “Estamos falando de qualidade e tecnologia. Salvar um relacionamento, ter o primeiro orgasmo, se sentir sensual e maravilhosa, dentre tantos outros depoimentos, não tem preço”, afirma a sensual coach.

Parceria multiplica informação

Além da venda de produtos, as consultoras promovem eventos, palestras, encontros femininos e chás de lingerie. Uma oportunidade divertida para trocar informações, criar empatia e quebrar tabus.

Foi em um desses encontros que Daniele conheceu Fernanda Matos, ativista quântica, palestrante, especialista em massagem quântica. Juntas com Maísa Mendes,  relações públicas, e a jornalista Daniela Colen, que redige este texto, realizam dia 18 de maio o evento ‘Permita-se ser mulher’. A proposta é inovar por meio de uma abordagem ampla, que fala de energia sexual, sua relação com o Divino, passando do místico ao cotidiano, com a prática da sedução, o despertar dos sentidos, dificuldades e soluções para uma vida mais plena e venturosa. Afinal é possível chegar ao orgasmo sim, sem medo de ser feliz!

Ele é real

Mas afinal como sei que tive um orgasmo?A médica Juliana Guimarães, no site Dr. Responde, explica que “do ponto de vista físico, o orgasmo é uma resposta do sistema nervoso parassimpático aos estímulos aplicados nos órgãos genitais, estímulos visuais, da imaginação e da cumplicidade com a parceria.

Para a especialista, o orgasmo deve ser visto “como consequência do interesse, do envolvimento, do desejo e do conhecimento sobre sua própria sexualidade. Para isto não existem regras.

Fisiologicamente falando, é percebido como contrações rápidas, ritmadas e involuntárias dos músculos do assoalho pélvico. Os relatos das sensações orgásticas são vários e diferentes de mulher para mulher. Por isso é bom não criar comparações, mas buscar conhecer o próprio corpo para perceber suas reações, explorando um novo e delicioso caminho junto ou a sós.

Box

Leitoras da Por Inteiro que fizerem contato terão desconto na inscrição para o evento! Interessadas em se tornar uma empreendedora do mercado sensual também pode enviar e-mail: danielacolenmkt@hotmail.com.  

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho